SUBMIT A COMPLAINT

Royal Holiday Vacation Clubholiday

1
D Aug 06, 2018

No dia 08 de julho de 2018, chegamos ao hotel Grand Park Royal Cancun Caribe para desfrutar da viagem de nossos sonhos.

Chegamos as 10h00, e já fomos abordados pelo Sr Douglas onde começou nosso pesadelo. Foi cobrado uma taxa de R$ 20, 00 que seria devolvido em um café especial agendado para dia 10 de julho. Nesse café ele informou que ganharíamos alguns brindes e que poderíamos disfrutar do café frente mar.

No dia 10 de julho, fomos abordados novamente pelo Sr Douglas, dizendo que gostava muito dos brasileiros e que queriam nos fazer um agrado, nos presenteando com uma garrafa de tequila, camisetas e acesso à academia do hotel durante nossa estadia e que teríamos um café da manha diferenciado em frente a praia . Em contrapartida, deveríamos assistir à uma pequena palestra de vendas, não nos revelando sobre qual seria o tema.

Depois de uma muita insistência por parte deste funcionário, que quase suplicou para que assistíssemos a apresentação e de uma promessa de que tudo duraria cerca de 90 minutos, fomos assistir a tal palestra. Fomos atendidos por uma moça brasileira chamada Jaqueline, que começou a apresentação de forma muito convincente, nos apresentando a Royal Holiday, um supostamente muito vantajoso clube de férias, onde compraríamos créditos em forma de pontuação, pelos próximos 30 anos e usaríamos essas pontuações para viajar.

Segundo ela, as vantagens por se associar a este clube de férias seriam inúmeras, pois estaríamos tratando diretamente com a administração dos hotéis, evitando empresas intermediárias, reduzindo o custo final das viagens. Perguntada sobre a idoneidade da empresa, ela deu inúmeras referências boas dizendo que (supostamente) a empresa tinha muitos anos de bom nome no mercado, com uma reputação inatacável. Perguntou sobre o que queríamos em nossas férias, sobre nossas últimas viagens e quais as próximas que planejávamos fazer. Foi-nos prometido que haveria inúmeras vantagens, desde descontos especiais em passagens aéreas até atendimento pessoal por um "agente de férias pessoal".

Posteriormente, após muita explicação sobre o conceito "Royal Holiday", fomos convidados a conhecer instalações prioritárias para sócios. Primeiramente, ela nos levou para a Royal Tower (descobrimos posteriormente que não era prioritária aos sócios, qualquer pessoa a qualquer momento, dentro do hotel, pode se transferir pra esses quartos, mediante um pagamento de uma taxa extra). Depois apresentou as villas, que eram como sobrados, para se hospedar com amigos e famílias, que seriam exclusivos de sócios (mais uma vez, mentira, qualquer um pode se hospedar lá).

Fomos levados então para a sala de vendas, onde vimos um vídeo institucional muito bem feito, onde várias pessoas supostamente se declaravam felizes por estar em um hotel da rede Royal Holiday e onde fomos apresentados a um gerente, também brasileiro, Sr Glawcon. Muito simpático, ele analisou rapidamente as informações gerais que a primeira vendedora havia colhido e munido de um guia de férias (prometido que seria nos dado, no caso de associação), ele nos deu alguns exemplos de viagens que poderíamos fazer com facilidade se estivéssemos no clube, além de nos prometer 03 anos de estadia gratuita (sem usar as tais pontuações compradas) em qualquer hotel da rede Royal. Explicou-nos que esses 3 anos oferecidos como cortesia não eram totalmente de graça, que deveria ser pago, em cada diária o sistema All Inclusive, no valor de U$49 dólares por pessoa. Ambos nos perguntaram quanto havíamos gasto com nossa agência de viagens em diárias. Informaram tbem que iriamos nos presentear com 2 cartas de 60.000 pontos cada para que possamos fazer um viagem que começamos a planejar que seria O cruzeiro da Disney em Barcelona + alguns dias de hospedagem em Barcelona / Madri e Franca. Informaram que teríamos que pagar somente a alimentação do cruzeiro.
Inclusive havíamos informado isso para o Gerente Rafael que nos atendeu na sala próximo ao restaurante.

Apresentou então uma proposta genérica, que poderíamos pensar com calma, com um valor absurdamente mais alto e uma proposta "diferenciada", que só seria apresentada nessa oportunidade em nossa vida, e que não poderíamos nem sair da sala para pensar um pouco sobre o assunto ou pesquisar sobre a empresa.

Depois de muita negociação, de repetidas negativas nossas, ele foi baixando os valores pedidos, até chegarmos a um parcelamento de quase todo o valor, para nos associarmos em um plano de 15.000 pontos anual por 30 anos. Numa pressão psicológica absurda, depois de mais de 07 horas de apresentação, uma demora para redigir o contrato (por volta de várias horas, na qual somos convidados a ficar tomando o espumante servido para "celebrar o momento"), de toda inconveniência daquele momento, finalmente somos apresentados a um contrato cheio de termos, sem leitura conjunta das partes, com estimulação pra que "passássemos os olhos" rapidamente sobre o mesmo, assinássemos e rubricássemos tudo e fossemos, enfim, aproveitar nossas férias.

Antes de tudo isso pedi para levar meu filho para o almoço pois ja era 14h40 e estávamos naquela sala desde as 10h00 da manha, mas disseram que se saíssemos daquela sala perderíamos todo a negociação, informei que nosso filho estava com fome, ele ja estava pedindo para almocar mas mesmo assim o Sr Glawcon informou que o contrato seria feito em 10 minutos.

Passado tudo isso, fomos curtir o momento. Dado que estávamos fora do Brasil, com um serviço de internet precário por parte do hotel, não conseguimos pesquisar sobre a empresa e sobre o plano de férias oferecido.

Voltamos para o Brasil e sem perder muito tempo, fomos pesquisar sobre a empresa Royal Holiday. Verificamos que a empresa tem péssimas referências, estando em recuperação judicial, não havendo confiabilidade mínima pra ficar associado a uma empresa dessas por 30 anos. Que os prometidos descontos em passagens aéreas simplesmente não existem. Que os 03 anos de hospedagem gratuita teriam que ser sim pagos, pois o sistema All Inclusive tem que ser pago e o valor não é U$ 49, 00 e sim U$ 99, 00 para hospedagem no Grand Park Royal Cancun Caribe.

Fiz algumas simulações com relação ao que eu pagaria indo sem o clube e indo com o clube e o desconto é pequeno demais estamos falando em 20% no máximo de redução, porem temos que pagar um valor enorme.

Pelo Sr Glawcon foi vendido também a parceria com a rede RCI por 30 anos, a qual descobrimos no primeiro contato com nossa agente de viagens do Brasil, Sr. Bruno, que teríamos somente 01 ano desta parceria.
Decidimos verificar por conta própria, e fizemos cotações genéricas, tanto em baixa quanto alta temporada, e pelos próximos anos, seria muito mais barato viajar programando tudo por empresas como Decolar.com e CVC, para destinos da própria rede da Royal Holiday. Para hotéis conveniados da empresa, fora do México, a diferença de preços é ainda mais absurda. Ou seja, totalmente ao contrário da perspectiva nos passada no dia da venda.

Semana passada em ligação com o Bruno, descobri que os 120.000 recebidos não podem ser usados em cruzeiros, e somente em alguns hotéis previamente informados.

Nesse momento se quiser usar algum outro hotel tenho que antecipar o valor de U$ 600 da mensalidade.

Fiz diversas simulações infelizmente em nenhuma vi o beneficio que foi nos dito naquela sala, inclusive com os créditos que fechamos náo conseguiremos fazer nenhuma viagem legal.

Verificando tudo isso, decidimos que não iríamos sacrificar nossa renda pelos próximos anos para nos manter associados ainda mais agora que fui desligada da empresa . Decidimos ligar para a Royal Holiday e pedir o cancelamento do contrato. Fomos atendidos pela Sr Bruno Tentei contato com o Glawcon por Whatshap solicitando o cancelamento do contrato e o mesmo me informa que não receberemos nada do que já pagamos de volta. Juro que não consigo entender como devolvem nada se não usei NADA.

Estamos extremamente frustrados com a situação. O que era para ser um momento de alegria em nossas vidas está maculado, uma situação muito incomoda. Queremos o imediato cancelamento do contrato n° [protected], distrato ou algo que o valha. Queremos que a empresa entre em contato conosco imediatamente, num prazo de 03 dias úteis, para providenciar estes tramites. Sabemos que estamos amparados por todas as leis brasileiras e internacionais de comércio. Não havendo contato no prazo referido acima, entraremos com uma ação judicial.

Quero muito resolver tudo isso da melhor forma possível até para que possamos um dia voltar para algum hotel da Royal sem nenhuma imagem negativa,

Nào me recuso a pagar alguma taxa administrativa mas impossível que essa taxa seja U$ 2.800 sendo que não usei nada, dentro da lei isso não existe.

Inclusive quando estávamos na negociação falamos que tínhamos somente a RCI e acabei cancelando quando chegamos, ele nos cobraram 5% do valor que tínhamos pago e ainda estão devolvendo um valor que ficou a mais do valor.

Aguardo um contato o mais breve para que eu possa realmente dormir a noite,

Obrigada
Daniela

Post your comment